21 de abril de 2011

Madredeus: Dica de Música

A dica de música hoje é de um conjunto português bem conhecido: Madredeus!!


Um pouco da história do Madredeus

Os Madredeus são um dos grupos musicais portugueses de maior projecção mundial. 
A sua música combina influências da música tradicional portuguesa com a música erudita e com a música popular contemporânea.

A musicalidade do grupo sempre foi erroneamente referida como fado, gênero musical português mais conhecido internacionalmente, sobretudo pela imprensa fora de Portugal. O grupo nunca se descreveu desta forma, ainda que declarasse existir uma aproximação ao "espírito musical" do fado.

Nos seus vinte anos de carreira, os Madredeus lançaram 14 álbuns e estiveram em turnéê em 41 países — incluindo a Coreia do Norte e um festival de música na Noruega, dentro do Círculo Polar Árctico.[2]

A primeira vez que ouvi esse conjunto cantar foi em uma minissérie da Globo, Os Maias. Quem não se lembra de uma voz doce e molodiosa que cantava na abertura da minessérie? Essa voz era, nada mais, nada menos que Madredeus!

Para quem não se lembra deixo aqui em baixo o vídeo da abertura, com a famosa música O Pastor!!




Discografia de Madredeus


Um pouco da discografia do conjunto para você conhecer melhor:


Os Dias da MadreDeus (1987)
Existir (1990)
O Espírito da Paz (1994)
Ainda (1995, banda sonora do filme Lisbon Story de Wim Wenders)
O Paraíso (1997)
Movimento (2001)
Um Amor Infinito (2004)
Faluas do Tejo (2005)
Essência (2012)
Capricho Sentimental (2015)



Separei também duas músicas que achei interessante compartilhar:

- Afinal a minha canção




Afinal deixei
A terra natal
E cantando andei
Menos mal
Se calhar mudei
Bem sei
Que não fiquei
Igual
Tanto que passei
Tão longe daí
Que em mim um país
Construí
E assim foi melhor
Porque
Não senti o medo
E a minha canção
Lá deixava ouvir
O vento no mar
O mar a bramir
À minha canção
Chegava
Esse mar
Que eu canto
Lá por onde andei
Nem julgo saber
A viagem é
Um só lugar
Mas onde eu cantei
Ficava
Um sabor
A sal
Houve até um dia
Em que imaginei
Que sempre que eu vinha
Cantar
Vinha a maresia
Boa
Para me ajudar
E a minha canção
Lá deixava ouvir
O vento no mar
O mar a bramir
À minha canção
Chegava
esse mar que eu canto
E a minha canção
Lá deixava ouvir
O vento no mar
O mar a bramir

Na minha canção
Morava esse mar que eu canto

- O Labirinto Parado




Perdi-me num labirinto de saudade
Senti
À montanha
Dos sítios que não mudam
Subi
E ao abismo
Do vertiginoso futuro
Desci
Procurei para o sol
Procurei para o mar
Mas sem ti
No céu da paisagem daqui
Afinal não saí
Mas sem ti
No céu da paisagem
Perdi
A noção da viagem
Na pedra já mais que branda da memória,
Escrevi
Com o tempo
que o musgo vai levando a crescer
Com o brilho que a esperança nos faz
no olhar
Escrevi
Que a saudade é prima afastada do vagar
Mas sem ti
No céu da paisagem
Perdi
A noção da viagem
Mas sem ti
No céu da paisagem
Daqui
Afinal não saí
Mas sem ti
No céu da paisagem
Perdi
A noção da viagem

Beijos e até a próxima.









Leia Mais ››

Instagram@biashaina